• Pedro Moacir Joazeiro

DEFININDO O QUE É FUNÇÃO DO PCP

Atualizado: 11 de Mar de 2018



Somos um país que necessita evoluir e isto passa pela educação, pela gestão e formação de nossos profissionais. Na indústria este é um requisito necessário, o conhecimento, não só do contratado, mas também de quem o contrata. Na indústria existe um ponto nefrálgico, negligenciado na maioria das vezes, e este é o PCP.


A combinação do profissional e ferramentas adequadas se faz necessário, pois o homem por si só não é dinâmico o suficiente para enxergar tudo que o PCP precisa ver. Por conta disto são necessários softwares (ferramentas), capazes de suprir ou complementar as necessidades destes profissionais através de tecnologias que propiciem o planejamento, o controle e a gestão deste ponto tão sensível da indústria.


Aqui mais algumas dicas de como a atuação deste profissional pode auxiliar sua indústria:


a) Desenvolver, chamando para si, uma relação clara com a área comercial da empresa no objetivo de prever o mais precisamente possível a visão de vendas da empresa no curto, médio e longo prazos, é prever um futuro de forma coerente e correta.

Mesmo que não seja um hábito a previsão de vendas, conecte-se com seu departamento comercial e comece hoje mesmo este exercício e o aprimore com frequência, você irá evoluir muito seu PCP com esta atitude;


b) Planejar, planejar e planejar, sempre entendendo a relação do que são pedidos firmes e que requerem que SEJAM ENTREGUES NO PRAZO PROMETIDO AO CLIENTE. Tendo uma visão correta do está acontecendo, através da carteira de pedidos, através da projeção de vendas e uma visão precisa do estoque o PCP consegue antecipar as necessidades e tomar ações;


c) Em qualquer dos temas aqui elencados, a Engenharia de Produto, através de boas ferramentas de software permitem levantar as necessidades de compras de matérias-primas, embalagens e materiais de consumo vinculados a atender aos pedidos e previsões das vendas. Entra aqui o MRP (Material Requeriment Planning), planejamento das necessidades de materiais que seu software deve prover.

Alguns sistemas empenham os materiais para atendimento através de ordens de fabricação/compras, mas isto não é regra, outros operam com o conceito de estoque projetado com base nas ordens GERADAS e outros permitem ambas as situações, mais a possibilidade de gerar a demanda a partir diretamente dos pedidos;


d) Monitorar constantemente o andamento das compras que influenciam na disponibilidade de materiais para atendimento as ordens de produção. Para isto requer a mesma fluência necessária para com o comercial, junto ao setor de compras e as áreas de suprimento internos quando esta assim funcionar.

Alguns softwares de mercado resolvem bem estas questões, permitindo ao PCP acompanhar através da ferramenta a situação das ordens de compra em aberto junto a fornecedores;


e) Outra tarefa do profissional de PCP é dimensionar lotes produtivos, gerar as ordens de produção, ordenar a sequencia produtiva (programar a produção/gerir recursos e suas disponibilidades), seja por um plano mestre de produção, ou uma ferramenta APS (Advanced Planning and Scheduling) de sequenciamento das ordens de produção ou outro método (puxado/empurrado).

Distribuir estas ordens para a indústria (diretamente ou através dos coordenadores de fábricas) e outros documentos normalmente necessários a qualidade do processo produtivo (Desenhos/Programas CNC/Fichas de Inspeções/etc.);


f) Monitorar o que acontece na produção, monitorar o andamento das OP’s (ordens de produção) no chão de fábrica e saber o que acontece com cada uma delas, seja por ações e ou regras definidas com as equipes operacionais que exprimam imediatamente quando uma etapa não aconteceu como esperado ou através do M.E.S. (manufacturing execution system), o gerenciamento das atividades da produção pelo apontamentos dos eventos no chão-de-fábrica.


Estes eventos são:

1. Paradas planejadas (trocas de turnos, manutenções preventivas, atividades planejadas);

2. Paradas não planejadas (manutenções corretivas, quedas de energia elétrica, afastamento de operadores, etc.);

3.Produção;

4.Sem demanda;

5. Etc.


g) Elaborar e ou analisar relatórios e fechamentos periódicos com base nos dados históricos de fabricação, sempre recomendando e implementando ações de ajustes e de melhorias contínuas nos resultados da produção.

Reconhecer, entender e atuar na análise de causas que tenham causado desvios nos resultados esperados/planejados para o processo produtivo;

h) Interpretar os custos de produção e atuar sobre quaisquer desvios ante ao previsto nos processos da Engenharia do Produto em relação a tempo previsto X realizado, entre outras questões deste cunho;


i) A gestão deve preconizar a qualidade (isto é obrigação de qualquer empresa) e para tanto este profissional deve contribuir na análise de RNC (Registro de Não Conformidade) relacionadas ao PCP (como atraso nas entregas, faltas de demanda, faltas de materiais, etc.), bem como agir para prevenção das mesmas.


Como já relatamos em outro post, no PCP não se morre de tédio, acreditamos que todos tenham percebido o quão esta função é importante para uma manufatura. Continuaremos com nossa missão de apresentar a nossos clientes artigos relevantes sobre a Inteligência Industrial em próximos post’s.


Nós da Integrum temos a grata satisfação de externar que nosso pessoal, no momento da implantação do ERP Integrum, age capacitando plenamente aos profissionais a seguirem os requisitos acima citados e nossas ferramentas de software atendem com plenitude a tudo o que aqui lhes descrevemos.


Cuide bem deste setor, ele pode garantir o sucesso de sua empresa.

Equipe Integrum.

FALE CONOSCO
       +55 51 3527.6619
comercial@integrum.inf.br
  • Linkedin
  • Facebook
Rua Santo Ângelo, 506 - Bairro Guarani, Novo Hamburgo / RS

© 2018 por Integrum Inteligência Industrial.