• Pedro Moacir Joazeiro

PROMOVENDO A LÍDER

Artigo escrito pelo Engenheiro de Produção Marcelo Colling - integrante da equipe Integrum.


Normalmente uma promoção interna é motivo de comemoração e alegria, e que realmente deve ser se isso for feito com base em um planejamento maduro e responsável. Entretanto, muitas vezes a alegria inicial se transforma em dor de cabeça posteriormente, em razão de planejamentos não bem elaborados para essa mudança de função.


Quando um funcionário de funções técnicas operacionais desempenha um bom trabalho e vem ao longo de um tempo se destacando com bons resultados, muitas empresas adotam a política de promovê-lo a líder do setor, como forma de recompensá-lo pelo bom trabalho realizado ou por medo de perder esse funcionário, proporcionando-lhe um crescimento em sua carreira. Ou seja, promovem o melhor operador a líder.


Todavia muitas empresas se equivocam em acreditar que as competências técnicas são suficientes para atribuir às posições de liderança. Em setores técnicos obviamente competências técnicas são relevantes no perfil de competências desejadas para o líder, principalmente para dar segurança ao time e poder administrar questões que surgem no cotidiano, porém para liderança é extremamente preponderante as competências de líder, que são as que trabalham com equipes e pessoas, gerando resultados de time.


Há uma preocupação das empresas em investir em líderes técnicos, justamente para reter conhecimentos operacionais no time e também “poder controlar melhor” o serviço da equipe. Como já disse competência técnica é importante, mas isso não significa que o líder deve ter a maior de todas ou que ele deva ser o mais hábil de todos nas atividades do setor. O líder deve ter condições técnicas mínimas do seu setor de trabalho, e saber como utilizar a competência coletiva do time em favor do setor, multiplicando a capacidade técnica de cada um, pois realmente ninguém individualmente tem o maior conhecimento do que a soma de um time.


Existem inúmeros recursos e possibilidades de se desenvolver as competências técnicas que estejam carentes em um líder, mas acima de tudo deve o líder ter a capacidade de ordenar e potencializar a competência técnica do time, tanto pelos conhecimentos individuais bem como por métodos de disseminação de conhecimento. Agora, desenvolver capacidades de liderança é algo mais delicado, pois boa parte da liderança tem a ver com comportamento humano, com o que cada um traz dentro de si nas relações com os indivíduos, e isso é muito mais nato da pessoa do que criado por cursos ou treinamentos.

Ser líder significa trabalhar em prol do time,estar disposto a desenvolver a competência de cada um dentro do time

estar constantemente planejando, conduzindo, orientando, controlando e administrando o trabalho da equipe. Significa e fazer com que as pessoas deem o seu melhor. É estar constantemente a serviço da sua equipe, pois o líder é o provedor de recursos para que a sua equipe desempenhe o trabalho da melhor forma. O líder sempre ouve ao seu time, ouve com muita atenção e respeito, demonstra interesse sem que haja perda no foco, vai buscar alternativas para que a equipe seja cada vez melhor e mais homogênea, dedica seu tempo às pessoas. O líder cobra muito, ao mesmo tempo em que defende o seu time, tratando com respeito a todos. O líder se coloca como responsável pelo trabalho do time, os desafia e os motiva, traça estratégias para vencerem as dificuldades, administra conflitos e toma as atitudes que são necessárias a tomar.


Veja que nenhuma das características acima citadas são de competência técnica, e sim de comportamento humano e de atitudes. Obviamente que muitas destas competências de liderança são desenvolvíveis e passíveis de aprimoramento através de treinamentos e capacitações, mas deve haver antes disso a pré-disposição do indivíduo para trabalhar com o comportamento humano.

Muitos dos líderes unicamente técnicos/operacionais, acabam se frustrando quando assumem o papel de liderança,

pois entram em conflito consigo mesmos, pois administrar pessoas é uma arte, e é para poucos. A dor de cabeça que a empresa encontra é que muitas vezes perdeu um ótimo operador e não tem um líder. O individuo foi promovido, aumentou salário, entretanto não está apto ou nem quer ser líder, e daí se fica com um problema sério. Essas empresas falharam antes, quando não fizeram um trabalho de retenção de conhecimento (que não significa segurar na empresa os funcionários que mais sabem a qualquer custo) ou de gestão técnica, pois estão dependentes de determinadas pessoas, e para não perdê-las acabam encontrando um lugar para elas na empresa como líder.


As empresas devem sim valorizar os funcionários de maior conhecimento, e existem alternativas muito inteligentes para isso. Todavia, visto que a cada minuto tudo muda no mundo, as empresas deveriam investir nestas pessoas para que elas sejam a semente de novos conhecimentos e tecnologias, pois já demonstraram ao longo dos anos que tem competências para isso, e isso vai ao encontro daquilo que é o perfil do funcionário. O capital humano é o maior e melhor capital que a empresa pode ter, mas devemos sempre estar de olho em novos conhecimentos, nos reinventando como empresa a cada minuto, aproveitando para estimular e desafiar àqueles que por muitos anos se dedicaram à empresa e entregaram ótimos trabalhos.


Devemos lembrar que um grande erro que uma empresa pode cometer é o de ocupar recursos ou pessoas pelo simples fato de ocupá-los e ou de retê-los. Cada pessoa ou recurso dentro da empresa deve dar o máximo de retorno para si e para a empresa, de forma que haja a maior produtividade e eficiência de cada um. Cada função exige competências específicas, e se tivermos a chance de aliar competência técnica com uma ótima liderança será algo fantástico, mas se não for possível recomendo investir em líderes, pois estes obterão os melhores resultados daqueles que detém as melhores competências técnicas.


Nós da Integrum acreditamos muito que a transformação de uma indústria se dá pela construção de ótimos líderes, pois eles serão os propagadores de mudanças e melhorias que se fazem necessárias a cada dia nas empresas. A liderança é a porta para o crescimento, é o referencial em que o time se espelha, é o norte que a empresa busca. Todo navio necessita de um bom capitão, e nós trabalhamos para que nossos clientes tenham os melhores capitães.


Eng. Marcelo Colling

Equipe Integrum



FALE CONOSCO
       +55 51 3527.6619
comercial@integrum.inf.br
Rua Santo Ângelo, 506 - Bairro Guarani, Novo Hamburgo / RS

© 2018 por Integrum Inteligência Industrial.